Blog

Publicado em 11/08/2017

Saiba como usar o Firefox Send para enviar arquivos de até 1 GB

Saiba como usar o Firefox Send para enviar arquivos de até 1 GB

Na semana passada, a Mozilla lançou um serviço de compartilhamento de arquivos autodestrutivos, o Firefox Send. Com ele, é possível enviar arquivos de até 1 GB para um amigo, e ele pode baixá-lo apenas uma vez em um período de 24 horas.

Assim que o arquivo for baixado uma vez, ele é automaticamente apagado dos servidores da Mozilla. Depois de um período de 24 horas, se ninguém fizer o download, ele também é deletado.

Leia mais em: https://olhardigital.com.br/dicas_e_tutoriais/noticia/saiba-como-usar-o-firefox-send-para-enviar-arquivos-de-ate-1-gb/70272

Publicado em 28/11/2016

5 dicas de SEO para posicionar bem o seu site no Google

5 dicas de SEO para posicionar bem o seu site no Google

Você tem uma pequena ou média empresa e nunca ouviu falar em Google SEO? SEO é uma abreviação para “Search Engine Optimization", que significa "otimização para mecanismos de busca" ou “otimização de sites”. Através desta técnica, é possível melhorar a sua posição no Google e ainda aumentar a geração de leads da sua loja.

Confira abaixo 5 dicas de como posicionar bem o seu site no Google:


1 - Pesquisar palavras-chave

Uma das melhores e mais simples práticas de Google SEO para melhorar a posição do seu site no Google é a pesquisa de palavras-chave relevantes para o seu segmento. Isto é, buscar por termos que tenham uma demanda considerável e, ao mesmo tempo, uma baixa concorrência. Para facilitar este processo, o Google disponibiliza uma ferramenta gratuita de análise de palavras-chave, mostrando a relação entre a quantidade de vezes que aquela palavra é procurada e o número de ocorrências dela na internet.


2 - Conteúdo de qualidade

Depois de escolher as melhores palavras-chave para o seu site, chegou a hora de pensar em um conteúdo relevante. De nada vai adiantar para melhorar a posição do seu site no Google se você selecionar as palavras-chave e escrever um texto que não seja relacionado com o seu segmento ou público. É importante, também, saber segmentar os artigos de acordo com cada assunto. Crie um post específico para cada palavra-chave e desenvolva este tema de forma natural e didática.


3 - Um bom título é fundamental

O ditado “não julgue o livro pela capa” não se aplica às boas práticas de Google SEO. Nestes casos, para melhorar a sua posição no Google e ainda aumentar a geração de leads do seu negócio, é fundamental ter um título conciso, objetivo, informativo e que contenha a palavra-chave principal do texto.


4 - Tenha uma boa estrutura de URLs e Links

Outro fator que o Google leva muito em conta na hora de posicionar o seu site é o endereço da sua página. O buscador valoriza as url mais “amigáveis”, que tenham as principais palavras-chave no texto e que estas sejam separadas por hífens.

Por exemplo:
http://www.reweb.com.br/novidades-e-estrategias-de-marketing-digital-em-nosso-blog

Além disso, outra prática de Google SEO valorizada é a de links externos que apontem para o seu site. Ou seja, para aumentar a popularidade do seu site e melhorar a sua posição no Google, é fundamental que outros sites estejam o recomendando. Mas, fique atento! Procure fazer isso de forma natural, criando estratégias e não simplesmente comprando link em outros sites.

Leia mais em http://www.reweb.com.br/5-dicas-de-seo-para-posicionar-bem-o-seu-site-no-google-postid-492

Publicado em 29/07/2016

Instagram começa a liberar ferramenta para criação de perfis de empresas

Instagram começa a liberar ferramenta para criação de perfis de empresas

O Instagram anunciou que começou a liberação das Business Tools, que permite que empresas criem contas diferenciadas na rede social, e ganhem acesso a informações analíticas de alcance e desempenho dos posts com o público.

O recurso está sendo distribuído aos poucos, primeiramente para os Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia. A empresa também promete lançar a novidade para empresas de outros países nos próximos meses.

O diferencial de um perfil de empresa no Instagram é que os seguidores podem ver informações importantes, como contato, endereço, e o tipo de informação que facilite os negócios e a interação com o consumidor de um modo geral.

Leia mais em http://olhardigital.uol.com.br/noticia/instagram-comeca-a-liberar-ferramenta-para-criacao-de-perfis-de-empresas/60721

Publicado em 19/05/2016

Como testar o desempenho da memória RAM do computador

Como testar o desempenho da memória RAM do computador

Uma das melhores maneiras de descobrir como o seu computador está operando, principalmente na memória RAM, é por um benchmark. Esse teste avalia o desempenho de uma máquina, obtendo dados que permitem comparar suas capacidades com outros modelos. Existem vários programas especializados que oferecem este recurso, como o AIDA64, um programa gratuito para realizar o procedimento.

Leia mais em http://www.techtudo.com.br/dicas-e-tutoriais/noticia/2016/05/como-testar-o-desempenho-da-memoria-ram-do-computador.html

Publicado em 23/03/2016

Web vira alternativa para fugir da crise

Web vira alternativa para fugir da crise

Em meio à crise financeira, os empreendedores buscam alternativas para não perder mercado. E uma grande oportunidade na atualidade é investir no poder da Internet enquanto divulgadora dos produtos ou serviços. Somente o Facebook, por exemplo – site mais acessado do mundo – é visitado por mais de 62 milhões de brasileiros por dia. Números que revelam a importância de investir no meio virtual.

Conforme o sócio-proprietário da Burn Web, Rene Ferreira, ter um site que seja “a cara” da empresa, e que mostre tudo o que ela oferece é essencial. “As coisas mudam muito rápido na web e é preciso estar atento ao que o cliente quer, assim como ao que é tendência no mercado. Hoje a empresa com um site próprio tem a opção de criar uma loja virtual, por exemplo, e mostrar em tempo real as novidades da marca”, comenta ele.

Ferreira enfatiza, ainda, que esta é uma alternativa barata se levada em conta a crise econômica nacional. Inclusive, a opção tem ganhado cada vez mais consumidores. “A comodidade, os preços acessíveis e a economia de tempo têm feito com que as pessoas prefiram comprar pela Internet. Prova é de que só no Natal de 2015, conforme pesquisa do E-bit, o aumento de compras na Web foi de 26% e gerou mais de R$ 7 bilhões”, conta o proprietário da Burn.

Realidade há 10 anos era outra

Muitos empresários demoraram a entender que precisavam estar presentes também virtualmente. Ferreira conta que há 10 anos, quando abriu a empresa especializada em desenvolvimento de sites, a visão sobre a Internet era outra. “Batíamos de porta em porta oferecendo o serviço, e grande parte das pessoas tinha um olhar desconfiado, não entendia a importância de estar na Web. Na época, éramos três, hoje já somos 10 profissionais e desenvolvemos mais de 300 sites, entre outros trabalhos relacionados, ao longo da última década”, diz.

Para desenvolver um site, dependendo do projeto e das funções, o tempo de produção pode variar de 30 dias e seis meses. Uma das novas exigências do mercado, afirma Ferreira, é que eles sejam responsivos, ou seja, se adaptem às diferentes plataformas de visualização, como computadores, tablets ou celulares. “O mundo está sendo ‘controlado’ pelos smartphones. Uma pesquisa recente apontou que mais de R$ 80 milhões de brasileiros usam o celular para diferentes tarefas. Eles pagam contas, visitam sites, pesquisam, se comunicam, enfim, fazem tudo o que precisam por ali”, avalia Ferreira.

Burn Web, em 10 anos, mais de 300 sites desenvolvidos

Há 10 anos no mercado, a Burn Web conta com clientes especialmente no Sul catarinense, mas também em outros Estados, como Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e outros. A empresa tornou-se referência na região quando o assunto é desenvolvimento de sites. No entanto, assim como a tecnologia muda, a Burn também se reinventou. Conforme os sócios Lucas Ferreira e Bruno Resendes, de alguns anos para cá os profissionais da empresa vêm desenvolvendo periodicamente aplicativos para diferentes plataformas.

Alguns deles tornaram-se cases de sucesso. “Fizemos aplicativos de vendas, para jornais, rádios, guias, enfim, alternativas diferenciadas a quem quer estar no mundo virtual de uma maneira mais forte”, explana Resendes. “Às vezes as pessoas procuram empresas de fora, de outros Estados, porque não sabem que oferecemos este serviço. Temos uma equipe especializada em programação, isso garante a qualidade durante o desenvolvimento e o suporte ao cliente no pós-venda”, completa Ferreira.

Além de aplicativos e sites, a Burn também desenvolve sistemas online, que podem ser acessados em diferentes plataformas, intranet, lojas virtuais, entre outros serviços. “Estamos sempre em busca de novidades para atender à demanda dos nossos clientes. Com um preço competitivo e equipe qualificada, conseguimos nos tornar referência e apresentar o que há de mais moderno no meio virtual”, pontua Lucas.

Publicado em 06/10/2015

5 razões para ter um site com design responsivo

5 razões para ter um site com design responsivo

Cada vez mais smartphones e tablets vêm sendo comprados e isso exige que os sites se tornem mais amigáveis para esses dispositivos móveis. Isso requer novas abordagens de visualização e navegação, uma arrumação mais limpa e efetiva, e que estas sejam boas soluções também para os desktops (computadores de mesa). Que tudo funcione bem nas pequenas telas e nos grandes monitores.

Veja aqui 5 razões para investir em um site com design responsivo!
Grande flexibilidade
Os sites com design responsivo são fluídos: seu conteúdo se move livremente em todas as resoluções de tela e em todos os dispositivos. Os grids e as imagens são também recombináveis, acompanhando os novos espaços da tela e se alocando para manter a aparência desejada e ordenada do site. Assim, o projeto responsivo obtém mais ou menos o mesmo resultado visual do conteúdo do site em telas grandes e menores.

Melhor experiência dos usuários
O conteúdo mais flexível e recombinável permite que o usuário tenha uma experiência agradável de intelecção e navegação em qualquer tamanho e resolução de tela. Ele pode utilizar o aparelho de sua preferência, na hora em que preferir. Assim, o web design responsivo abastece uma experiência de usuário ideal, independentemente de utilizar um computador desktop, um smartphone, um tablet ou uma TV inteligente. O recurso acomoda o profissional ocupado ao longo do dia e tem o estudante universitário bem servido de acesso ao seu site a qualquer momento. Se não houvesse uma solução adequada de rolagem ou redimensionamento, o visitante teria que acessar seu site apenas a partir de seu dispositivo favorito, depois de indicar as diretrizes de visualização do local.

Baixo custo efetivo
Ter um site único que está em conformidade com a necessidade de todos os dispositivos é bem mais barato do que ter dois ou mais soluções web distintas. Além disso, vale dizer que os sites destinados exclusivamente para o uso em dispositivos móveis não oferecem as técnicas de navegação avançadas encontradas em websites tradicionais, e também exigem que o usuário mantenha dois endereços da web separados para seu site. Isso é inconveniente para a maioria das pessoas, o que pode levá-los a conferir o site do concorrente.

O Google recomenda
O Google tem mais do que 2/3 do mercado de busca mundial. Considerando-se apenas o ambiente móvel, sua participação chega a 80%. Então, o que a empresa indica torna-se importante para o marketing on-line das empresas ouvir. Além disso, o Google afirma que esta seria a sua configuração móvel aconselhada, sugerindo ainda que o design responsivo é a melhor prática para a indústria. Já para o presente ano de 2015, o Google vai aumentar sua compatibilidade com os dispositivos móveis como critério de classificação nos resultados de busca feitas nos smartphones e tablets (saiba mais aqui).

Saiba que, inclusive, as recentes normativas da empresa, de fevereiro de 2015, sugerem que a atualização de SEO do Google vai penalizar as versões de sites para desktop que não sejam mobile-friendly, piorando sua classificação nos algoritmos e nos resultados de seu mecanismo de busca na Internet.

Facilidade de gerir
Dois websites, um para a solução móvel e outro para um ambiente fixo, como o desktop, exige que a empresa tenha campanhas de SEO diferentes, além de ações publicitárias distintas. É claro que gerir apenas um site e desenvolver uma estratégia de SEO é muito mais fácil do que tomar conta de dois locais e dois planos de ações diferentes. Por isso um site responsivo é muito conveniente: ele admite ter uma só estratégia de SEO, com a otimização de palavras-chave que são mais propensas a serem buscadas quando alguém está no seu smartphone. Mas também em seu desktop!

Se o SEO é um componente central de sua estratégia de marketing digital, ter um site mobile-friendly está se tornando igualmente essencial. As vendas feitas em aparelhos móveis já superaram aquelas feitas em desktop, e uso da Internet móvel está previsto para ultrapassar o da Internet em desktop já por agora, em 2015. É lógico que a busca móvel vai exceder a busca no desktop, em algum momento no futuro próximo também. A decisão é sua.

Leia mais em: https://www.impacta.com.br/blog/2015/05/14/5-razoes-para-ter-um-site-com-design-responsivo/

Publicado em 16/09/2015

81,5 milhões de brasileiros acessam a internet pelo celular

81,5 milhões de brasileiros acessam a internet pelo celular

Acessam à internet pelo celular 81,5 milhões de brasileiros com mais de dez anos, segundo pesquisa divulgada hoje (15) pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). O número representa 47% dessa parcela da população, de acordo com as entrevistas feitas em 19,2 mil domicílios entre outubro de 2014 e março de 2015. Na edição anterior da pesquisa TIC Domicílios, com referência a 2013, o percentual de usuários da rede por telefone móvel era de 31% e em 2011, de 15%.

O celular é o segundo aparelho mais presente nos lares brasileiros, estando em 92% deles. Perde apenas para os televisores, que estão em 98% dos domicílios. No total, o telefone móvel é usado por 86% dos adultos e adolescentes, um total de 148,2 milhões de pessoas. O aparelho é o único meio de acesso a rede para 19% dos usuários. O computador é o canal exclusivo de conexão para 23% dos internautas. 56% utilizam os dois meios.

Entre os usuários de internet, o equipamento mais utilizado ainda é o computador, sendo meio de acesso de 80% deles – 54% computadores de mesa e 48% notebook. Em seguida, vem o celular, com 76%. O tablet é usado por 22%.

Tem pontos de acesso à rede 50% dos domicílios. Porém, são apontadas desigualdades regionais. Enquanto o índice de lares com internet fica entre 55,1% e 60% no Sudeste, o percentual nas regiões Norte e Nordeste está entre 35% e 40%. “A série histórica da TIC Domicílios tem mostrado a permanência da desigualdade no acesso, fato que precisa ser observado em sua complexidade pelos gestores públicos para a reversão deste quadro” ressalta o gerente do Cetic.br, Alexandre Barbosa.

Por classe social, também é verificada disparidade no acesso. Entre as residências da classe A, 98% têm conexão, 82% nas da classe B, 48% na classe C e 14% nas D e E. O custo elevado do serviço é um dos motivos apontado por 49 % dos que não têm internet em casa. O segundo fator mais citado é a falta de computador (47%). Enquanto 45% disseram simplesmente não ter interesse.

Em relação a velocidade de conexão, 35% dos usuários têm acesso lento, de até 2 megabits por segundo (Mbps). O coordenador da pesquisa, Winston Oyadomari, destacou que a falta de boas conexões pode ser um impedimento para acessar determinados conteúdos. “Assistir filmes ou vídeos aparece como uma das atividades mais citadas. O que é interessante porque demanda uma conexão de internet que dê conta de vídeo. Como fica essa questão do indivíduo demandar o vídeo mas ter uma conexão que não necessariamente suporta?”, questionou.

O envio de mensagens instantâneas por redes sociais ou aplicativos é a atividade mais realizada pelos usuários de internet (83%). Participar de redes sociais é razão do acesso de 76% dos usuários. E 58% dos internautas usam a rede para assistir vídeos ou filmes. Com informações da Agência Brasil.

FONTE: http://www.msn.com/pt-br/noticias/ciencia-e-tecnologia/815-milh%C3%B5es-de-brasileiros-acessam-internet-pelo-celular/ar-AAel0pb?ocid=spartandhp

Publicado em 17/08/2015

Oi promete banda larga de até 35 Mb/s nos próximos meses

Oi promete banda larga de até 35 Mb/s nos próximos meses

Em meio a um grande processo de reestruturação da empresa, a Oi anunciou novos investimentos de rede para o segundo semestre. A primeira das mudanças que atendem ao consumidor final se resume em novas velocidades da banda larga fixa: será possível assinar internet de até 35 Mb/s pela operadora.

Serão quatro novas opções no portfólio: 20 Mb/s, 25 Mb/s, 30 Mb/s e 35 Mb/s. Será utilizada a tecnologia VDSL, e a novidade chega após o anúncio de um novo backbone ótico com capacidade de 100 Gb/s, que percorrerá as cidades de 12 capitais do Nordeste ao Sul do país. A operadora espera atingir 35% da base com os novos planos, e tem a capacidade de até 300 mil acessos com a velocidade de 35 Mb/s. A expansão da rede FTTH também está no papel: a promessa foi feita há três anos com o anúncio do serviço de banda ultra larga e IPTV, que é restrito a pouquíssimas residências em bairros de Belo Horizonte e Rio de Janeiro.

Leia mais em TECNOBLOG.

Publicado em 12/05/2015

Facebook testa buscador de notícias em app móvel

Facebook testa buscador de notícias em app móvel

O Facebook é, acima de tudo, uma rede social para compartilhamentos. Atualizações de status e fotos parecem ser os materiais mais interessantes para esse fim, mas links não ficam muito atrás. Tal percepção explica um dos mais recentes experimentos da companhia: uma função de busca de notícias.

Leia mais em: Tecnoblog.

Publicado em 09/03/2015

MacBook de 12 polegadas

MacBook de 12 polegadas

Com apenas 13,1 mm de espessura, o novo MacBook é 24% mais fino que o antigo MacBook Air. É muita coisa: Tim Cook carregava o notebook durante a apresentação e as bordas mal apareciam. Ele acompanha uma tela Retina de 12 polegadas, com resolução de 2304×1440 pixels. A tela possui o mesmo nível de brilho dos MacBooks Pro com tela Retina, mas apresenta um consumo de energia até 30% menor.

O novo MacBook é equipado com o processador Intel Core M de quinta geração, com clock de 1,3 GHz, suportando até 2,9 GHz em turbo. Ele consome apenas 5 watts de energia, de forma que o processador é extremamente econômico na parte de bateria. O chip gráfico é o Intel Graphics 5300. A versão mais básica traz 8 GB de RAM e 256 GB de SSD — que promete ser duas vezes mais rápido que os SSDs presentes nos outros MacBooks.

Confira mais em: https://tecnoblog.net/174843/apple-macbook-12-polegadas-2015/

« 1 2 3